Relationship between Habitual Physical Activity and high Blood Pressure Among Adolescents In High Socioeconomic Level School: a Confounder-Controlled Analysis

Autores

  • Adeluci Moraes
  • Aline Giselle Nagafuchi
  • Raphael Gustavo Testa
  • João Victor Tank Martins
  • Diego Giulliano Destro Christofaro
  • Andreo Fernando Aguiar
  • Juliano Casonatto Universiade Norte do Paraná - UNOPAR

Resumo

Abstract

The interplay between habitual physical activity and health outcomes in adolescents might be shaped by diverse social and environmental factors. Moreover, ensuring control over confounding variables is imperative for a more precise determination of the magnitude of these associations. Therefore, the present study aimed to investigate the relationship between habitual physical activity (HPA) and high blood pressure (HBP) among students from high socioeconomic level schools. Utilizing a sample of 120 students in Londrina-PR, aged between nine and 13 years, the study did not find significant associations between different domains of HPA (school-based, active sports/leisure, and free time) and the prevalence of HBP. Surprisingly, total physical activity was associated with a higher risk of HBP, regardless of adjustments for variables such as nutritional status and somatic maturation. This suggests that the relationship between physical activity and cardiovascular health in children may be more complex than mere volume of physical activity, implicating the type and context of activities practiced. The results underscore the importance of considering these factors when assessing the risk of HBP in children from high socioeconomic backgrounds. However, further research is needed to better understand the underlying mechanisms of this paradoxical relationship between physical activity and cardiovascular health in school-aged children.

Keywords: Exercise. Hypertension. Schools. Social Class. Population Health.

Resumo

A relação entre a prática habitual de atividades físicas e os desfechos de saúde em adolescentes pode ser influenciada por diversas variáveis sociais e ambientais. Além disso, o controle de variáveis de confusão é fundamental para identificar de forma mais precisa a magnitude dessas relações. Dessa forma, o presente estudo teve como objetivo investigar a relação entre a prática habitual de atividade física (PHAF) e a pressão arterial elevada (PAE) em escolares de alto nível socioeconômico. Utilizando uma amostra de 120 escolares em Londrina-PR, entre nove e 13 anos, o estudo não encontrou associações significativas entre os diferentes domínios da PHAF (na escola, esporte/lazer ativo e tempo livre) e a prevalência de PAE. Surpreendentemente, a prática total de atividades físicas foi associada a um maior risco de PAE, independentemente de ajustes para variáveis como estado nutricional e maturação somática. Isso sugere que a relação entre atividade física e saúde cardiovascular em crianças pode ser mais complexa do que o simples volume de atividade física, implicando o tipo e contexto das atividades praticadas. Os resultados destacam a importância de considerar esses fatores ao avaliar o risco de PAE em crianças de alto nível socioeconômico. No entanto, mais pesquisas são necessárias para entender melhor os mecanismos subjacentes a essa relação paradoxal entre a atividade física e a saúde cardiovascular em escolares.

Palavras-chave: Exercício. Hipertensão. Escola. Classe social. Saúde Populacional.

Publicado

2024-07-03

Como Citar

1.
Moraes A, Nagafuchi AG, Testa RG, Martins JVT, Christofaro DGD, Aguiar AF, et al. Relationship between Habitual Physical Activity and high Blood Pressure Among Adolescents In High Socioeconomic Level School: a Confounder-Controlled Analysis . J. Health Sci. [Internet]. 3º de julho de 2024 [citado 13º de julho de 2024];26(2):100-5. Disponível em: https://journalhealthscience.pgsscogna.com.br/JHealthSci/article/view/13002

Edição

Seção

Artigos