Profile of Notifications of Deaths Due to Acute Myocardial Infarction in the I GERES Municipalities of Pernambuco, 2018-2021

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8938.2024v26n1p48-52

Resumo

Abstract

In Brazil and around the world, cardiovascular diseases are responsible for thousands of deaths every year. Among these, those related to ischemic heart disease stand out. From this perspective, to assist in the development of effective and timely health strategies and policies, this study aimed to analyze deaths from Acute Myocardial Infarction (AMI) reported in municipalities belonging to the I Regional Health Management (GERES) of Pernambuco in the years 2018 to 2021. This is a retrospective ecological study, carried out using data from the Mortality Information System. The variables used to describe deaths from AMI were: municipality of coverage, sex, age, color/race, education, marital status and place of death. The results showed a reduction in deaths due to heart attacks in the municipalities and years investigated. The variables studied showed a statistically significant association with the rates of deaths from AMI. The predominant profile of deaths from heart attacks was among residents of the reef, male, mixed race, with one to three years of education, aged 75 and over and married. This study makes important contributions by describing the profile of deaths due to AMI in the I GERES municipalities of Pernambuco and can help guide public health strategies.

Keywords: Acute Myocardial Infarction. Mortality. Public Health.

Resumo

No Brasil e no Mundo, as doenças cardiovasculares são responsáveis por milhares de mortes todos os anos. Entre tais, destacam-se aqueles relacionados à doença isquêmica do coração. Nesta perspectiva, para auxiliar na elaboração de estratégias e políticas de saúde eficazes e oportunas, este estudo teve como objetivo analisar as mortes por Infarto Agudo do Miocárdio notificadas nos municípios pertencentes à I Gerência Regional de Saúde (GERES) de Pernambuco nos anos de 2018 a 2021. Trata-se de um estudo ecológico retrospectivo, realizado através de dados do Sistema de Informação de Mortalidade. A variáveis utilizadas para a descrição das mortes por IAM foram: município de abrangência, sexo, idade, cor/raça, escolaridade, estado civil e local de ocorrência do óbito. Os resultados mostraram redução dos óbitos por Infarto nos municípios e anos investigados. As variáveis estudadas apresentaram associação estatisticamente significativa com as taxas de mortes por IAM. O perfil predominante das mortes por infarto foi entre os residentes do recife, sexo masculino, pardos, escolaridade de um a três anos, com faixa etária de 75 anos e mais e com estado civil casado. Este estudo traz contribuições importantes ao descrever o perfil dos óbitos por IAM nos municípios da I GERES de Pernambuco, podendo auxiliar no direcionamento de estratégias em saúde pública.

Palavras-chave: Infarto Agudo do Miocárdio. Mortalidade. Saúde Pública.

 

Biografia do Autor

Matheus Vinicius Barbosa da Silva, Universidade Federal de Pernambuco, Centro Acadêmico de Vitória. PE. Brazil.

Enfermeiro pela Universidade Federal de Pernambuco. Pós-graduando em Sa´úde Pública.

Gustavo Baroni Araujo, Universidade de Londrina, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. PR, Brazil.

Graduado, Mestre e Doutorando em Educação Física pela Universidade Estadual de Londrina. Pós-graduado em saúde coletiva.

Augusto Cesar Barreto Neto, Universidade Federal de Pernambuco, Centro Acadêmico de Vitória. PE, Brazil.

Possui Doutorado em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Federal de Pernambuco (2012). Mestrado em Hebiatria pela Universidade de Pernambuco-UPE. Especialização em Estatística Social pela FUNDAJ. Especialização em Atenção de Emergência Pré-hospitalar. Bacharelado em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal de Pernambuco-UFPE e Licenciatura em Enfermagem pela Universidade Federal de Pernambuco-UFPE. Atualmente é professor, dedicação exclusiva, em nível de Associado II da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE; Coordenador do curso de enfermagem da UFPE/CAV; Líder do Núcleo de Estudos em Emergência.

Referências

Silva MVB, Alves BVS, Sales MS, Filho CAL, Oliveira AS, Barros GLP, Carvalho RLL, Pereira DSS, França PMB, Bernardino AO. Caracterização do perfil epidemiológico da mortalidade por doenças cardiovasculares no Brasil: um estudo descritivo. Enferm Brasil, 2022; 21(2): 154–165. https://doi.org/10.33233/eb.v21i2.5030

Caínzos-Achirica M, Patel KV, Nasir K. The Evolving Landscape of Cardiovascular Disease Prevention. Methodist DeBakey Cardiovascular Journal, 2021;17(4), 1–7. https://doi.org/10.14797/mdcvj.383

Liu B, Du Y, Wu Y, Snetselaar L, Wallace RB, Bao W. Trends in obesity and adiposity measures by race or ethnicity among adults in the United States 2011-18: population based study. The BMJ, 2021; n365–n365. https://doi.org/10.1136/bmj.n365

Mayer‐Davis EJ, Lawrence JM, Dabelea D, Divers J, Isom S, Dolan LM, Imperatore G, Linder B, Marcovina SM, Pettitt DJ, Pihoker C, Saydah S, Wagenknecht LE. Incidence Trends of Type 1 and Type 2 Diabetes among Youths, 2002–2012. The New England Journal of Medicine, 2017;376(15), 1419–1429. doi: https://doi.org/10.1056/nejmoa1610187

Roth GA, Mensah GA, Johnson CO, Addolorato G, Ammirati E, Baddour LM, et al. Global Burden of Cardiovascular Diseases and Risk Factors, 1990–2019. Journal of the American College of Cardiology. 2020;76(25):2982–3021. doi: https://doi.org/10.1016/j.jacc.2020.11.010

Pauletti M, Guimarães SM, Miltersteiner DR. Síndrome Coronariana Aguda na Unidade de Terapia Intensiva Adulta. Aletheia. 2018;51(1-2):156–64.

Santos EB, Bianco HT. Atualizações em doença cardíaca isquêmica aguda e crônica. Revista Da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, 2018;16(1):52–58.

Thygesen K, Alpert JS, Jaffe AS, Chaitman BR, Bax JJ, Morrow DA, et al. Fourth Universal Definition of Myocardial Infarction (2018). Circulation. 2018;13;138(20). doi: https://doi.org/10.1161/cir.0000000000000617

Brasil, Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde – DATASUS. Ministério da Saúde. 2022.

Freitas RB, Padilha JC. Perfil epidemiológico do paciente com infarto agudo do miocárdio no Brasil. Revista de saúde Dom Alberto, 2021;8(1):100–127.

Moien Ab Khan, Hashim M, Mustafa H, May Yousif Baniyas, Suwaidi A, AlKatheeri R, et al. Global Epidemiology of Ischemic Heart Disease: Results from the Global Burden of Disease Study. Cureus. 2020. doi: https://doi.org/10.7759/cureus.9349

Gheorghe A, Griffiths UK, Murphy A, Legido‐Quigley H, Lamptey P, Perel P. The economic burden of cardiovascular disease and hypertension in low- and middle-income countries: a systematic review. BMC Public Health. 2018;18(1). https://doi.org/10.1186/s12889-018-5806-x

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução CIT Nº 1, de 29 de setembro de 2011. 2021. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cit/2011/res0001_29_09_2011.html

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades: Pernambuco. 2023. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/panorama

Pernambuco, I Gerência Regional de Saúde - Secretaria de Saúde. Mapa de Saúde da I Região de Saúde / I Gerência Regional de Saúde - 1ª Edição Secretaria de Saúde Pernambuco. 2021.

Johansson S, Rosengren A, Young K, Jennings E. Mortality and morbidity trends after the first year in survivors of acute myocardial infarction: a systematic review. BMC Cardiovascular Disorders. 2017;17(1). doi: https://doi.org/10.1186/s12872-017-0482-9

Santos J dos, Meira KC, Camacho AR, Salvador PTC de O, Guimarães RM, Pierin ÂMG, et al. Mortalidade por infarto agudo do miocárdio no Brasil e suas regiões geográficas: análise do efeito da idade-período-coorte. Ciênc saúde coletiva. 2018;23(5):1621–34. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018235.16092016

Mussi FC, Teixeira JRB. Fatores de risco cardiovascular, doenças isquêmicas do coração e masculinidade. Revista Cubana de Enfermería, 2018;34(2). https://revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/1613

Silveira EL, Cunha LM da, Pantoja M de S, Lima AVM, Cunha ANA da. Prevalência e distribuição de fatores de risco cardiovascular em portadores de doença arterial coronariana no Norte do Brasil. Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba. 2018;20(3):167-73. doi: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2018v20i3a9

Assis LS, Andrade M, Leite JL, Machado N. A atenção da enfermeira à saúde cardiovascular de mulheres hipertensas. Escola Anna Nery, 2009;13(2):265–270. doi: https://doi.org/10.1590/s1414-81452009000200005

Gama G, Mussi FC, Mendes AS, Guimarães AC. (Des)controle de parâmetros clínicos e antropométricos em indivíduos com doença arterial coronária. Rev Da Escola de Enfermagem Da Usp, 2011;45(3):624–631. doi: https://doi.org/10.1590/s0080-62342011000300011

Sato T, Fermiano N, Batistão M, Moccellin AS, Driusso P, Mascarenhas S. Doenças crônicas não transmissíveis em usuários de unidades de saúde da família - prevalência, perfil demográfico, utilização de serviços de saúde e necessidades clínicas. Rev Bras Ciênc Saúde 2017; 21(1): 35-42. doi: https://doi.org/10.4034/rbcs.2017.21.01.05

Ferreira LCM, Nogueira MC, Carvalho MS, Teixeira MTB. Mortalidade por Infarto Agudo do Miocárdio no Brasil de 1996 a 2016: 21 Anos de Contrastes nas Regiões Brasileiras. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 2020;115(5):849–859. doi: https://doi.org/10.36660/abc.20190438

Vieira RCP, Marcolino MS, Silva LGS e, Pereira DN, Nascimento BR, Jorge A de O, et al.. Avaliação do Impacto da Implantação de um Sistema de Ambulância Pré-Hospitalar sobre Mortalidade por Infarto Agudo do Miocárdio em um País em Desenvolvimento. Arq Bras Cardiol. 9999;(ahead). doi: https://doi.org/10.36660/abc.20210953

Souza VL, Santos MA, Gentil SR, Simonetti SH. Aspectos pré-hospitalares no atendimento de pacientes acometidos com infarto agudo do miocárdio. Revista De Enfermagem Da UFJF, 2023;9(1). doi: https://doi.org/10.34019/2446-5739.2023.v9.40680

Downloads

Publicado

2024-04-24

Como Citar

1.
Silva MVB da, Araujo GB, Neto ACB. Profile of Notifications of Deaths Due to Acute Myocardial Infarction in the I GERES Municipalities of Pernambuco, 2018-2021. J. Health Sci. [Internet]. 24º de abril de 2024 [citado 13º de julho de 2024];26(1):48-52. Disponível em: https://journalhealthscience.pgsscogna.com.br/JHealthSci/article/view/12629

Edição

Seção

Artigos