Perception of Stress Among Healthcare Professionals Who Worked on the Frontline of COVID-19 at the Regional Hospital of Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian

Autores

  • Beatriz Amaral Becker Universidade Anhanguera Uniderp. MS, Brasil.
  • Camilla Corrêa Martins da Conceição Universidade Anhanguera Uniderp. MS, Brasil.
  • Felipe Flores da Costa Neves Universidade Anhanguera Uniderp. MS, Brasil.
  • Juliano da Silva Silveira Universidade Anhanguera Uniderp. MS, Brasil.
  • Leda Marcia Araújo Bento Universidade Anhanguera Uniderp. MS, Brasil.

Resumo

Abstract
In 2020, the COVID-19 pandemic brought significant strain to frontline workers combating the disease. This pressure contributed to the collapse of the public healthcare system and severely impacted the physical and mental health of these professionals. They were exposed to numerous difficulties in dealing with a population in need of emergency care. As a result, these individuals began to show signs of frustration, helplessness, fear of contamination, and concerns about the health of their families, patients, and healthcare colleagues. This study aimed to assess the impact of the crisis caused by the pandemic on the mental health of frontline workers, with an emphasis on the consequences of stress experienced during this period. It is a longitudinal, quantitative study conducted at the Mato Grosso do Sul Regional Hospital (HRMS). A questionnaire was administered, including the 10-item Perceived Stress Scale (PSS-10) along with three multiple-choice questions developed by the researchers, to 150 participants (N=150). Of these participants, 117 were female and 33 were male, with the majority being nursing technicians. The results revealed that 51.33% of the study participants reported high and very high levels of stress, and 91 individuals developed psychiatric disorders, especially anxiety, as a direct result of the pandemics impact. Therefore, there is an urgent need to implement interventions aimed at improving the mental health of these frontline professionals.

Keywords: COVID-19. Mental Health. Centralized Hospital Services. Health Personnel.

 

Resumo  

No ano de 2020, a pandemia da COVID-19 trouxe uma sobrecarga significativa para os trabalhadores da linha de frente no combate à doença. Essa pressão contribuiu para o colapso do sistema de saúde público e teve um impacto severo na saúde física e mental desses profissionais. Eles foram expostos a inúmeras dificuldades ao lidar com uma população que necessitava de cuidados de emergência. Como resultado, esses indivíduos passaram a demonstrar sinais de frustração, impotência, medo de contaminação e preocupações com a saúde de seus familiares, pacientes e colegas de trabalho da área da saúde. Este estudo teve como objetivo avaliar o impacto da crise causada pela pandemia na saúde mental dos trabalhadores da linha de frente, com ênfase nas consequências do estresse vivenciado durante esse período. Trata-se de um estudo de natureza longitudinal e quantitativa realizado no Hospital Regional do Mato Grosso do Sul (HRMS). Foi aplicado um questionário que incluía a Escala de Percepção do Estresse 10 (EPS-10) juntamente com três perguntas de múltipla escolha desenvolvidas pelos pesquisadores a 150 participantes (N=150). Destes participantes, 117 eram do sexo feminino e 33 do sexo masculino, sendo a maioria composta por técnicos de enfermagem. Os resultados revelaram que 51,33% dos profissionais participantes do estudo informaram apresentar níveis elevados e muito elevados de estresse, e 91 indivíduos desenvolveram distúrbios psiquiátricos, especialmente ansiedade, como resultado direto do impacto da pandemia. Portanto, torna-se urgente a necessidade de implementar intervenções voltadas para melhorar a saúde mental desses profissionais da linha de frente. 

 Palavras-chave: COVID-19. Saúde Mental. Serviços Centralizados no Hospital. Profissionais de Saúde.  

Referências

RIBEIRO, KV. Estressores ocupacionais e níveis de estresse em enfermeiros de unidades de internação clínica. Rio de Janeiro, 2017.

COSTA, DT; MARTINS, MCF. Estresse em profissionais de enfermagem: impacto do conflito no grupo e do poder do médico. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2011;45(5):1191-1198.

FERNANDES, MA. Riscos ocupacionais e o adoecimento de trabalhadores de saúde de um hospital psiquiátrico do Piauí. Tese de Doutorado em Enfermagem, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, 2014.

LIPP, MEN. Mecanismos neuropsicofisiológicos do stress: teoria e aplicações clínicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

MENEGHINI, F.; PAZ, AA; LAUTERT, L. Fatores ocupacionais associados aos componentes da síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem. Texto Contexto - Enfermagem. 2011;20(2):225-233.

MANETTI, M. L.; MARZIALE, M. H. P. Fatores associados à depressão relacionada ao trabalho de enfermagem. Estudos de Psicologia (Natal). 2007;12(1):79-85.

LI Q, et al. Early Transmission Dynamics in Wuhan, China, of Novel Coronavirus–Infected Pneumonia. New England Journal of Medicine. 2020;p. 1199–1207.

AVELAR, KES. et al. Os desafios do governo brasileiro no enfrentamento da pandemia do coronavírus. Revista Augustus. 2020;25(51). Disponível em: https://doi.org/10.15202/1981896.2020v25n51p31.

OPAS. Organização Pan-Americana de Saúde. 2020. In: Folha informativa – COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus).

DONG E, DU H, GARDNER L. An interactive web-based dashboard to track COVID-19 in real time. The Lancet Infectious Diseases. 2020;3099(20):19–20.

HELIOTERIO, MC et al. COVID-19: por que a proteção da saúde dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde é prioritária no combate à pandemia? SciElo Preprints. 2020.

CUETO, MO COVID-19 e as epidemias da globalização. História, Ciências e Saúde Manguinhos. 2020. Disponível em: http://www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/o-covid-19-e-as-epidemiasdaglobalizacao. Acesso em 22 de maio de 2021.

GUIMARÃES AV, BRASILAM. O adoecimento psíquico e a atividade laboral do profissional de saúde. Projeto de Pesquisa, Centro Universitário de Anápolis, 2011.

ENUMO, SRF., WEIDE, J. N., VICENTINI, E. C. C., ARAÚJO, M. F., MACHADO, W. L. Enfrentando o estresse em tempos de pandemia: proposição de uma Cartilha. Estudos de Psicologia (Campinas). 2020.

HORTA, RL. et al. O estresse e a saúde mental de profissionais da linha de frente da COVID-19 em hospital geral. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2021;70(1):30-38.

COHEN, S. et al. A global measure of perceived stress. Journal of Health and Social Behavior. 1983;24(December):385-396.

GOMES, LS. Profissionais atuantes frente à pandemia do novo coronavírus: condições de saúde relacionadas aos aspectos emocionais. Research, Society and Development. 2022;11(1):e15511124386. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i1.24386.

LINDERT, J; JAKUBAUSLIENE, M; BILSEN., J. The COVID-19 disaster and mental health—assessing, responding, and recovering. European Journal of Public Health. 2021;31(Supplement 4):iv31–iv35.

ARCADI, Paola et al. Nursing during the COVID-19 outbreak: A phenomenological study. Journal of Nursing Management. 2021;29(5):1111-1119. DOI: 10.1111/jonm.13249.

REIS, RS, HINO, A, RODRIGUEZ-AÑEZ, CR. (in press). Perceived Stress Scale: Reliability and Validity Study in Brazil. Journal of Health Psychology. 2010 Jan;15(1):107-14. DOI: 10.1177/1359105309346343.

Publicado

2024-07-03

Como Citar

1.
Becker BA, Conceição CCM da, Neves FF da C, Silveira J da S, Bento LMA. Perception of Stress Among Healthcare Professionals Who Worked on the Frontline of COVID-19 at the Regional Hospital of Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian . J. Health Sci. [Internet]. 3º de julho de 2024 [citado 13º de julho de 2024];26(2):115-20. Disponível em: https://journalhealthscience.pgsscogna.com.br/JHealthSci/article/view/12481

Edição

Seção

Artigos