Body Practices and Physical Activity Interventions in Primary Health Care: an Integrative Review

Autores

  • Maria Kessany de Carvalho Silva Unopar, Programa de Pós-Graduação em Exercício Físico na Promoção da Saúde. PR, Brasil.
  • Jerônimo de Freitas Regis Unopar, Programa de Pós-Graduação em Exercício Físico na Promoção da Saúde. PR, Brasil.
  • Nuno de Noronha da Costa Bispo Unopar. PR, Brasil.
  • Evelize Cristina Labegaline da Silva Araujo Unopar. PR, Brasil.
  • André Wilson de Oliveira Gil Programa de Pós-Graduação em Exercício Físico na Promoção da Saúde. PR, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8938.2024v26n1p40-47

Resumo

Abstract
In recent decades, body practices and physical activities (PCAF) have become part of the public health agenda. Actions to combat sedentary lifestyle in primary care are developed through body practices, physical exercises, physical activities and guided walks. The main objective of this study is to verify which interventions are being carried out by the Physical Education Professional (PEF) in primary care. This study comprises an integrative review. After consulting the databases and applying the search strategies, studies that were duplicated between the databases were identified and excluded. To compose this study, 7 articles were selected. With regard to the types of exercises found in the articles, 3 studies performed only resistance exercise, in which it was the Pilates method and Chinese gymnastics Liang Gong. Still, 4 studies combined aerobic and resistance exercises. Other important findings of this study, that the elderly population are the ones that most participated in the interventions and that the interventions were concentrated in the South and Southeast regions. In the interventions portrayed in this review, the diversification of physical exercises offered in Primary Care was noticed. All interventions brought positive health benefits at the physiological, social and/or psychological levels. This fits into the perspective of health promotion among the population that performs physical activity and/or physical exercise in Primary Care programs.

Keywords: Healthcare Models. Primary Health Care. Health Promotion. Exercise.

Resumo

Nas últimas décadas as práticas corporais e atividades físicas (PCAF) passaram a compor a agenda da saúde pública. As ações para aumentar a prática de atividade física na Atenção Primária, são orientadas e desenvolvidas por meio de práticas corporais, exercícios físicos, atividades físicas e caminhadas. O presente estudo tem como objetivo principal verificar quais intervenções realizadas pelo Profissional de Educação Física (PEF) na Atenção Primária à Saúde. Este estudo compreende uma revisão integrativa. Após a consulta às bases de dados e a aplicação das estratégias de busca, foram identificados e excluídos estudos que apresentavam duplicidade entre as bases e foram selecionados sete artigos para compor este estudo. No que se refere aos tipos de exercícios físicos encontrados nos artigos, o exercício Resistance foi o mais prevalente (OU utilizado) nas intervenções, seguido pelas práticas integrativas e exercícios aeróbicos. Outros achados importantes neste estudo, foi a maior participação da população idosa nas intervenções, concentradas nas regiões do Sul e Sudeste. Nas intervenções retratadas nesta revisão percebeu-se a diversificação dos exercícios físicos oferecidos na Atenção Básica. Todas as intervenções trouxeram benefícios positivos para a saúde, nos níveis fisiológicos, sociais e/ou psicológicos, bem como o ponto de maior destaque foi a utilização do exercício Resistance. O que se enquadra numa perspectiva de promoção da saúde junto à população que realiza atividade física e/ou exercício físico nos programas da Atenção Primária à Saúde.

Palavras-chave: Intervenções não Farmacológicas. Atenção Primária. Promoção da Saúde. Atividade Física.

Referências

WHO. WHO Guidelines on Physical Activity and Sedentary Behaviour: at a glance. World health organization, editor. Genebra: World health organization; 2020.

Lobelo F, Rohm Young D, Sallis R, Garber MD, Billinger SA, Duperly J, et al. Routine Assessment and Promotion of Physical Activity in Healthcare Settings: A Scientific Statement From the American Heart Association. Circulation. 2018 May;137(18). DOI: 10.1161/CIR.0000000000000559

Brasil. Portaria no 2.446, de 11 de novembro de 2014. Redefine a Política Nacional de Promoção da Saúde. Ministério da Saúde; 2014.

Hallal PC. Physical activity and health in Brazil: research, surveillance and policies. Cad Saude Publica. 2014 Dec;30(12):2487–9. DOI: 10.1590/0102-311xpe011214

Brasil. Lei no 12.864, de 24 de setembro de 2013. Altera o caput do art. 3o da Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, incluindo a atividade física como fator determinante e condicionante da saúde. Diário Oficinal da União; 2013.

Ministério da Saúde. Programa Academia da saúde [Internet]. [cited 2022 Apr 15]. Available from: https://aps.saude.gov.br/ape/academia.

Brasil. Portaria no 1.105, de 15 de maio de 2022. Altera a Portaria de Consolidação GM/MS no 6, de 28 de setembro de 2017, para instituir o incentivo financeiro federal de custeio, destinado à implementação de ações de atividade física na Atenção Primária à Saúde. Ministério da Saúde; 2022.

Loch MR, Dias DF, Rech CR. Apontamentos para a atuação do Profissional de Educação Física na Atenção Básica à Saúde: um ensaio. Rev Bras Atividade Física Saúde. 2019 Aug 12;24:1–5. DOI: 10.12820/rbafs.24e0069

Brasil. Portaria MS/GM no 2.436 de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ministério da Saúde; 2017.

Brasil. DIRETRIZES DO NASF: Núcleo de Apoio a Saúde da Família. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2009. 160 p.

Saporetti GM, Miranda PSC, Belisário SA. O PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA. Trab Educ e Saúde. 2016 Apr 1;14(2):523–43. DOI: 10.1590/1981-7746-sip00113

Souza Neto JM De, Brito GEG de, Loch MR, Silva SS Da, Costa FF da. ACONSELHAMENTO PARA ATIVIDADE FÍSICA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Mov. 2020 Nov 27;26:e26075. DOI: 10.22456/1982-8918.104360

Ercole FF, Melo LS de, Alcoforado CLGC. Integrative review versus systematic review. Reme Rev Min Enferm. 2014;18(1). DOI: 10.5935/1415-2762.20140001

Soares CB, Hoga LAK, Peduzzi M, Sangaleti C, Yonekura T, Silva DRAD. Integrative Review: Concepts And Methods Used In Nursing. Rev da Esc Enferm da USP. 2014 Apr;48(2):335–45. DOI: 10.1590/S0080-6234201400002000020

Santos CM da C, Pimenta CA de M, Nobre MRC. The PICO strategy for the research question construction and evidence search. Rev Lat Am Enfermagem. 2007 Jun;15(3):508–11. DOI: 10.1590/S0104-11692007000300023

Organização Pan-Americana da Saúde. Sobre o DeCS/MeSH [Internet]. [cited 2022 Mar 17]. Available from: https://decs.bvsalud.org/sobre-o-decs/.

BIREME (Brasil). Biblioteca Virtual em Saúde - Tutorial de Pesquisa Bibliográfica. São Paulo, SP; 2009.

Melnyk BM, Fineout-Overholt E, Stillwell SB, Williamson KM. Evidence-Based Practice: Step by Step: The Seven Steps of Evidence-Based Practice. AJN, Am J Nurs. 2010 Jan;110(1):51–3. DOI: 10.1097/01.NAJ.0000366056.06605.d2

Tenny S, Brannan J, Brannan G. Qualitative Study [Updated 2022 Sep 18]. In: StatPearls. Treasure Island (FL): StatPearls; 2023.

Pimentel J de O, Loch MR. “Melhor idade”? Será mesmo? A velhice segundo idosas participantes de um grupo de atividade física. Rev Bras Atividade Física Saúde. 2020 Nov 21;25:1–7. DOI: 10.12820/rbafs.25e0140

Meurer S, Borges L, Graup S, Benedetti T. Autoeficácia de Idosos iniciantes em um Programa de Exercícios Físicos: comparação entre Permanecentes e Não Permanecentes. Rev Bras Atividade Física Saúde. 2015 Jan 31;20(1). DOI: 10.12820/rbafs.v.20n1p57

Brunheroti K de A, Papini CB, Zorzetto LP, Brito BTG de, Nakamura PM, Kokubun E. Efeito de duas intervenções com diferentes volumes de exercícios físicos na aptidão física de mulheres usuárias da atenção primária de saúde. Rev Bras Ciência e Mov. 2020;28(4). DOI: 10.31501/rbcm.v28i4.11773

Duarte D da S, Sousa CA de, Nunes CR de O. Effect of Pilates method and conversation circles on the health of older adults. Fisioter em Mov. 2017 Mar;30(1):39–48. DOI: 10.1590/1980-5918.030.001.ao04

Bobbo VCD, Trevisan DD, Amaral MCE do, Silva EM. Saúde, dor e atividades de vida diária entre idosos praticantes de Lian Gong e sedentários. Cien Saude Colet. 2018 Apr;23(4):1151–8. DOI: 10.1590/1413-81232018234.17682016

Polo MCE, Tavares GH, Kanitz AC, Sebastião E, Papini CB, Silva DRP da. Effectiveness of exercise and health education interventions in Brazilian primary health care. Mot Rev Educ Física. 2020;26(3). DOI: 10.1590/s1980-6574202000030004

Borges LJ, Meurer ST, Borges RA, Gerage AM, Benedetti TRB. Qual a intensidade das aulas de um programa de exercício físico para idosos? Rev Bras Cineantropometria e Desempenho Hum. 2015 Sep 21;17(5):527. DOI: 10.5007/1980-0037.2015v17n5p527

Silva DB da, Sixel TR dos S, Medeiros A de A, Schmitt ACB. Força de trabalho de Profissionais de Educação Física na Atenção Primária à Saúde. Rev Bras Atividade Física Saúde. 2022 Feb 11;27:1–9. DOI: 10.12820/rbafs.27e0240

Brasil. Lei no 9.696, de 1o de Setembro de 1998. Dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Educação Física e cria os respectivos Conselho Federal e Conselhos Regionais de Educação Física. Diário Oficial da União; 1998.

Casaril CMC, Schwab GL, Moreira KA, Ferreira MCF. Núcleo Ampliado de Saúde da Família a Atenção Básica (NASF-AB) Diretrizes e Processos. Paraná: SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ;

Vicentini de Oliveira D, Magnani Branco BH, Costa de Jesus M, Sepúlveda-Loyola W, Gonzáles-Caro H, Morais Freire GL, et al. Relación entre la actividad física vigorosa y la composición corporal en adultos mayores. Vol. 38, Nutrición Hospitalaria. 2021. p. 60–6.

Thomas E, Battaglia G, Patti A, Brusa J, Leonardi V, Palma A, et al. Physical activity programs for balance and fall prevention in elderly. Medicine (Baltimore). 2019 Jul;98(27):e16218. DOI: 10.1097/MD.0000000000016218

Umpierre D, Coelho-Ravagnani C, Cecília Tenório M, Andrade DR, Autran R, Barros MVG de, et al. Physical Activity Guidelines for the Brazilian Population: Recommendations Report. J Phys Act Heal. 2022 May 1;19(5):374–81. DOI: 10.1123/jpah.2021-0757

Lin YH, Chen YC, Tseng YC, Tsai S tzu, Tseng YH. Physical activity and successful aging among middle-aged and older adults: a systematic review and meta-analysis of cohort studies. Aging (Albany NY). 2020 Apr 29;12(9):7704–16. DOI: 10.18632/aging.103057

Fiorilli G, Buonsenso A, Centorbi M, Calcagno G, Iuliano E, Angiolillo A, et al. Long Term Physical Activity Improves Quality of Life Perception, Healthy Nutrition, and Daily Life Management in Elderly: A Randomized Controlled Trial. Nutrients. 2022 Jun 17;14(12):2527. DOI: 10.3390/nu14122527

Klepac Pogrmilovic B, Ramirez Varela A, Pratt M, Milton K, Bauman A, Biddle SJH, et al. National physical activity and sedentary behaviour policies in 76 countries: availability, comprehensiveness, implementation, and effectiveness. Int J Behav Nutr Phys Act. 2020 Dec 18;17(1):116. DOI: 10.1186/s12966-020-01022-6

van Doorslaer E. Inequalities in access to medical care by income in developed countries. Can Med Assoc J. 2006 Jan 17;174(2):177–83. DOI: 10.1503/cmaj.050584

Gomes M de A, Duarte M de F da S. EFETIVIDADE DE UMA INTERVENÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA EM ADULTOS ATENDIDOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: PROGRAMA AÇÃO E SAÚDE FLORIPA - BRASIL. Rev Bras Atividade Física Saúde. 2008 Sep 11;13(1 SE-Artigos Originais):44–56. DOI: 10.12820/rbafs.v.13n1p44-56

Gomes GA de O, Kokubun E, Mieke GI, Ramos LR, Pratt M, Parra DC, et al. Characteristics of physical activity programs in the Brazilian primary health care system. Cad Saude Publica. 2014 Oct;30(10):2155–68. DOI: 10.1590/0102-311X00085713

Becker L, Gonçalves P, Reis R. Programas de promoção da atividade física no Sistema Único de Saúde brasileiro: revisão sistemática. Rev Bras Atividade Física Saúde. 2016 Mar 1;21(2):110. DOI: 10.12820/rbafs.v.21n2p110-122

Abd El-Kader SM, Al-Jiffri OH. Aerobic exercise improves quality of life, psychological well-being and systemic inflammation in subjects with Alzheimer’s disease. Afr Health Sci. 2017 Mar 7;16(4):1045. DOI: 10.4314/ahs.v16i4.22

Weber MA, Schiffrin EL, White WB, Mann S, Lindholm LH, Kenerson JG, et al. Clinical Practice Guidelines for the Management of Hypertension in the Community. J Clin Hypertens. 2014 Jan 17;16(1):14–26. DOI: 10.1111/jch.12237

Papini CB, Campos L de, Nakamura PM, Brito BTG de, Kokubun E. Cost-analysis and cost-effectiveness of physical activity interventions in Brazilian primary health care: a randomised feasibility study. Cien Saude Colet. 2021 Nov;26(11):5711–26. DOI: 10.1590/1413-812320212611.27142020

Bao W, Sun Y, Zhang T, Zou L, Wu X, Wang D, et al. Exercise Programs for Muscle Mass, Muscle Strength and Physical Performance in Older Adults with Sarcopenia: A Systematic Review and Meta-Analysis. Aging Dis. 2020;11(4):863. DOI: 10.14336/AD.2019.1012

Liao Y, Peng Z, Chen L, Zhang Y, Cheng Q, Nüssler AK, et al. Prospective Views for Whey Protein and/or Resistance Training Against Age-related Sarcopenia. Aging Dis. 2019;10(1):157. DOI: 10.14336/AD.2018.0325

Fragala MS, Cadore EL, Dorgo S, Izquierdo M, Kraemer WJ, Peterson MD, et al. Resistance Training for Older Adults: Position Statement From the National Strength and Conditioning Association. J Strength Cond Res. 2019 Aug;33(8):2019–52. DOI: 10.1519/JSC.0000000000003230

FEIGENBAUM MS, POLLOCK ML. Prescription of resistance training for health and disease. Med Sci Sport Exerc. 1999 Jan;31(1):38–45. DOI: 10.1097/00005768-199901000-00008

Yamauchi T, Islam MM, Koizumi D, Rogers ME, Rogers NL, Takeshima N. Effect of home-based well-rounded exercise in community-dwelling older adults. J Sports Sci Med. 2005 Dec;4(4):563–71.

Takeshima N, Rogers NL, Rogers ME, Islam MM, Koizumi D, Lee S. Functional fitness gain varies in older adults depending on exercise mode. Med Sci Sports Exerc. 2007 Nov;39(11):2036–43. DOI: 10.1249/mss.0b013e31814844b7

Melo AV de, Sant’Ana GR de, Bastos PRH de O. Redes, atores e agenciamentos na constituição da Política de Práticas Integrativas e Complementares no Brasil. Cien Saude Colet. 2022 Jun;27(6):2397–406. DOI: 10.1590/1413-81232022276.16442021

Souza JORL, Costa L de S, Lobo TEBB, Eufrásio S, Leite NM, Silva AL da, et al. Lian Gong: prática corporal chinesa e sua relação com a qualidade de vida em idosos. Saúde Coletiva. 2010 Oct 5;7(43):213–5.

Lopes AL, Lemos SMA, Figueiredo PHS, Gonçalves DU, Santos JN. Lian gong as a Therapeutic Treatment Option in Primary Care for Patients with Dizziness: A Randomized Controlled Trial. Int Arch Otorhinolaryngol. 2021 Oct 8;25(04):e509–16. DOI: 10.1055/s-0040-1718956

Campos ÁADA, Quaresma FRP, Barbosa TC. EFEITOS DA PRÁTICA DO LIAN GONG NA QUALIDADE DE VIDA, NÍVEL DE ESTRESSE E SINTOMAS OSTEOMUSCULARES DE USUÁRIOS DE UM CENTRO DE SAÚDE EM PALMAS/TO. Cent Pesqui Avançadas em Qual Vida. 2020 Apr 11;1–10. DOI: 10.36692/cpaqv-v12n1-19

Downloads

Publicado

2024-04-24

Como Citar

1.
Silva MK de C, Regis J de F, Bispo N de N da C, Araujo ECL da S, Gil AW de O. Body Practices and Physical Activity Interventions in Primary Health Care: an Integrative Review. J. Health Sci. [Internet]. 24º de abril de 2024 [citado 13º de julho de 2024];26(1):40-7. Disponível em: https://journalhealthscience.pgsscogna.com.br/JHealthSci/article/view/12169

Edição

Seção

Artigos